Mãe confessa para a polícia que matou filho para aliviar sofrimento dele

Crime aconteceu em São Francisco; jovem sofria de Doença de Cronh. Mulher diz que filho pediu para ser morto, mas polícia contesta versão dela.

O delegado da Polícia Civil de São Francisco (MG), Emmanuel Robson Gomes, prendeu em flagrante Miriam Magalhães Rodrigues, de 49 anos, pelo assassinato do filho dela, Guilherme Magalhães Rodrigues, de 20. O crime aconteceu nesta quarta (5). A mulher confessou ter cometido o homicídio e alegou que o rapaz pediu para ser morto, porque sofria fortes dores por ter a “Doença de Crohn” – que afeta o aparelho digestivo. Ele apresentava vários ferimentos na cabeça.

O delegado destaca que apesar de ter a doença, Guilherme Rodrigues tinha uma vida normal, cursava Engenharia de Automação em Itabira (MG) e estava fazendo autoescola, inclusive já havia marcado o exame de direção. A polícia não acredita que a mulher tenha agido por “compaixão ou piedade”. Gomes diz que a real motivação do assassinato ainda será investigada, e o prazo é de 10 dias para a conclusão do inquérito. Ele afirma também que a relação entre mãe e filho era normal, inclusive, na terça-feira (4), eles foram vistos juntos, andando de moto.

mae-filho-sf2
Mãe e filho mantinham uma boa relação, dizem parentes (Foto: Reprodução / Rede Social)

Miriam Magalhães, que não tem passagens pela polícia, permanece presa em São Francisco e pode responder por homicídio duplamente qualificado, por agir com requintes de crueldade e por dificultar a defesa da vítima. A pena varia de 12 a 30 anos de prisão.

O delegado também confirmou que ouviu várias testemunhas. Uma delas é a vizinha, que foi chamada pela mulher e acionou a polícia, após ver que Guilherme Rodrigues estava morto. Por enquanto, a PC ainda não tem muitos detalhes sobre os problemas de saúde apresentados por Guilherme, já que Miriam Rodrigues está prestando depoimento na manhã desta quinta.

Relação entre mãe e filho
G1 conversou com dois tios do rapaz; um é irmão da mãe dele e outro é irmão do pai, que morreu há 12 anos quando ainda era casado com Miriam Rodrigues. Ambos dizem não ter explicações para a motivação do assassinato, já que mãe e filho tinham uma boa relação.

“Esta notícia assustou todo mundo, é algo que causou espanto e supresa, pois os dois se davam muito bem. Ela era um ótima mãe e ele era um ótimo filho”, fala Letivan de Magalhães, irmão de Miriam. O tio ainda conta que esteve recentemente com o sobrinho, que parecia estar bem. Ele também falou que a irmã não tinha problemas de saúde.

Bilhete que teria sido escrito por Mirim está com a data de 31/07/2015 (Foto: Reprodução / Inter TV)
Bilhete que teria sido escrito por Miriam com data de 31/07/2015 (Foto: Reprodução / Inter TV)

O outro tio de Guilherme, Serafim Rodrigues, irmão do pai dele, diz que encontrou com o sobrinho em uma festa de família no mês de julho.

“Ele não reclamava de dores, era amável, carinhoso e muito comunicativo, por isto todos gostavam dele. Também era muito estudioso, passou em dois vestibulares e estava no segundo ano de curso. Ela confessou que matou por causa da doença, mas para nós é uma situação sem explicação”.

Bilhete
Após o o crime, um vizinho, que lavava a casa onde o assassinato ocorreu, encontrou um bilhete que teria sido escrito por Miriam, e que estava em uma das janelas do imóvel. “Guilherme eu te amo muito. Até um dia que você seja um homem de sucesso”, diz o bilhete, datado de 31/07/2015.

Fonte: G1 Grande Minas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.